Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

One Day, One Song

Noite eleitoral no alfa pendular

20h47. Quarenta e sete minutos depois de terem sido lançadas as primeiras sondagens à boca das urnas nas televisões, partia da estação de Campanhã, no Porto, o comboio alfa pendular com destino a Santa Apolónia, Lisboa.

20160124_213211.png

Untitled-1.png 

Apesar de ir habitualmente cheio, o último comboio do dia a fazer a ligação entre Braga e Lisboa está especialmente composto este domingo, 24 de janeiro. Sinal de que alguns portugueses ainda fazem alguns quilómetros para votar? Talvez, apesar dos números da abstenção dizerem o contrário.

 

Enquanto uns aproveitam a viagem para dormir, outros viajam para outros mundos através dos livros e dos filmes. Mas há ainda quem tente acompanhar a noite eleitoral.

 

No banco da frente está uma jovem que entrou em Vila Nova de Gaia. Depois de se sentar, a primeira coisa que fez foi ligar o computador e ir até ao site da RTP. Mas o wi-fi do alfa não colaborou e o Facebook foi a solução encontrada.

 

Ao lado, uma jovem recebe uma chamada. “Tino de Rans em terceiro lugar no Porto. Como é que é possível?”, interroga-se entre risos. “É surpreendente, Marcelo, Sampaio e Tino não tinham apoios partidários e conseguiram mais votos. Em especial o Tino, que sozinho teve mais do que a Maria de Belém”, comenta ao telefone. 

 

Seja no tablet, no computador ou no smartphone, alguns dos passageiros tentam acompanhar os resultados da noite eleitoral. É preciso ter paciência e carregar várias vezes no F5 até que a internet colabore - felizmente a CP vai avançar com um plano que prevê melhorar a ligação.

 

Na carruagem cinco do Alfa Pendular 136, são poucos os passageiros que tentam acompanhar a noite eleitoral. Curiosamente, são os mais jovens que comentam e tentam aceder aos sites de informação para saber em que mãos estará parte do futuro de Portugal.

 

Acompanhe ao minuto os acontecimentos e comentários da noite eleitoral e veja o detalhe dos resultados.

 

Sugestão de leitura: Era uma vez um Marcelo português. Abraçava, beijava e falava inglês

(atualizado às 22h12)