Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

One Day, One Song

O ÚNICO DEUS.

Não há verbos nem adjectivos que cheguem para definir o amor. Muito menos advérbios, nomes e pronomes que harmoniosamente o expliquem. É ou não é. Ama-se porque sim. E nunca se ama pela metade - amar pela metade está longe de ser amor.

Ama-se porque temos amor nas veigas. Ama-se porque se acredita na felicidade a dois. Ama-se porque se quer dividir o futuro. Ama-se porque todas as utopias podem ser reais com amor. Ama-se porque se quer concretizar todas as cenas dos filmes de amor com outra pessoa. Ama-se porque se quer ter um par para dançar. Ama-se porque se quer fazer duetos com o amor. Ama-se porque se deseja. Ama-se porque se quer. Ama-se pelo prazer. Ama-se pelos sorrisos. Ama-se pelas lutas de almofada. Ama-se pelos beijos. Ama-se pelos abraços. Ama-se porque se querem cometer loucuras. Ama-se pelas brigas. Ama-se pelo poder ouvir o bater do coração da outra pessoa. Ama-se porque  se sonha com viagens românticas. Ama-se pelo materialismo de trocar presentes. Ama-se pelo "Bom dia" ao acordar. Ama-se por saber que se tem sempre alguém a quem podemos ligar. Ama-se pelas borboletas na barriga. Ama-se pelos momentos a dois. Ama-se pelo entrelaçar dos dedos ao dar a mão. Ama-se porque amamos. Ama-se porque tudo pode dar certo, mas sem amor tudo é insignificante. Ama-se porque se ama amar.

 

O amor é a máxima da expressão do viver. O amor procura-se em todos os recantos e só se encontra bem no centro do coração. O amor é isto e aquilo. O amor diz olá quando menos se espera. Se for para sempre nunca diz adeus. O amor chega a ser ridículo e sem razão, mas vence todas as teorias cientificas e todas as milhentas teses sobre o mundo. Porque o amor é tudo. Porque pode tudo desabar mas haverá sempre amor. Haverá sempre alguém que ame. E sempre que alguém ama outro alguém é amado. Querendo-se ou não, o amor nunca é solitário. Há sempre dois, independentemente de os dois sentirem o mesmo ou não.

 

O amor é mistério. O amor é fé, esperança e crença. Por isso, o amor devia ser elevado ao estatuto de Deus supremo. Talvez o amor  seja o único Deus. Um Deus que faz mover montanhas, perdoar, lutar e até rezar para o bem comum, para o bem com o outro.

A partir de hoje - e até ao fim das nossas vidas -, deveríamos tratar o amor como se fosse a maior de todas as religiões, o maior de todos os partidos (fazer coligações para assegurar a maioria absoluta, até!) e como se fosse o clube com mais títulos conquistados - sempre que nasça um amor o mundo deveria festejar calorosamente. A partir de hoje e para toda a eternidade o amor passará a ser AMOR, com letras maiúsculas para ser a razão de tudo, o centro das atenções, como se um Deus fosse.

 

"Qué textos más hermosos, veo imágenes excelentes y apuesta vital. Se impone felicitar a Tiago por hacer vida del oficio escribi" Pilar del Rio.